domingo, 2 de novembro de 2014

Capítulo 4

Passamos pela portaria, Vanessa cumprimentou Seu Nicolau e entrou no elevador, eu fiz o mesmo. Eu gostaria de entender o poder que ela estava exercendo sobre mim. Ela me encarava de um jeito muito sério, sempre que nossos olhares se encontravam ela desviava prontamente. Senti como se o elevador subisse a passos de tartaruga. Assim que o elevador parou e ela saiu o telefone dela tocou, a música de toque foi o que me chamou a atenção. Era “Toda forma de Amor” do Lulu Santos, achei curioso, e quando dei por mim já estava cantarolando.
- “Consideramos justas toda a forma de amooor.” - Oh Deus porque eu estou cantando? Que vergonha.
Ela soltou uma gargalhada. Por um momento fiquei sem saber se ela estava rindo da situação ou do fato de eu cantar mal pra caramba.
- Me desculpe... – ela falou um pouco sem graça, mas ainda sorrindo.
- Tudo bem, eu nunca cantei bem mesmo! – falei fazendo graça.
- Quer TOMAR um café?
ISSOOOOOOOOO. Senti-me como aquele zagueiro que faz gol de barriga sem querer e salva o time nos 45 do segundo tempo!
- Claro que sim! – falei abrindo um grande sorriso.
- Só não repara na bagunça, é que me mudei hoje e ainda não tive tempo de arrumar. – ela falou enquanto já abria a porta.
Mesmo com todas as caixas o apartamento dela ainda parecia mais arrumado que o meu. Grande parte das coisas já estava arrumada.
- Como você conseguiu organizar tudo tão rápido? – falei me virando para ela que estava na cozinha, separada apenas por uma bancada da sala.
- Não fui eu, foi a minha mãe. Ela deve ter passado o dia todo aqui.
Ela me estendeu uma xícara com café. E me convidou para sentar na varanda.
- Você é diferente...
- Eu? Diferente? De que? – ela me assustou.
- Do que me falaram...
- E o que foi que te falaram? –aquilo me deixou extremamente curioso.
- Diversas coisas. – ela me falou com um olhar de quem não ia responder o que eu queria.
- Você não vai me dizer o que eu quero saber, não é?
- Não mesmo. – ela falou soltando uma gargalhada.
Ela bocejou, pude perceber todo o cansaço na sua expressão. E cheguei à conclusão de que eu já havia conseguido evoluir o suficiente para aquele dia. Foi um dia muito “intenso”.
- Vou te deixar descansar. – falei já me levantando da cadeira.
- Tenho que admitir, estou realmente cansada.
Quando passávamos pela sala, esbarrei em uma caixa e cai de costas no chão, ela ao tentar me segurar acabou caindo também, por cima de mim. Senti o meu corpo pegar fogo. Ela me olhava profundamente dentro dos olhos, com um olhar indecifrável. Ela abaixou a cabeça e começou a beijar o meu pescoço. Fiquei completamente sem reação, não esperava essa reação dela, NUNCA. Ela subiu pelo meu pescoço e me deu uma leva mordidinha no queixo. Eu estava extremamente excitado, e sei que ela percebeu isso. Ela ergueu a cabeça e encarou-me. Senti o meu coração quase parar dentro do peito quando as nossas bocas se encontraram.

******************************************************

Olá pessoal!!
Mais um capítulopara vcs!!!
Para descobrir o que vai acontecer daqui pra frente, eu diminui a cota de comentários minimos, o que antes eram 2 agora é 1 comentário, já que nã acho justo deixa quem comenta esperando... Okay!? Então para o próximo capitulo 1 comentário (no mínimo)....
Beijoos

4 comentários:

  1. Eitaa
    A van é mto misteriosa msm!!
    Kkkkkkk
    Posta logo pfvv
    Kkkk bjs

    ResponderExcluir
  2. como assim vc para na melhor parte quer me matar do coração né só pode,
    To adorando sua fic,comecei a ler ela hoje e tá perfeita,já virou meu vicio hehe
    não demora pra postar não viu porque se não vou ter um troço de tanta curiosidade kk
    xoxo ♥♥♥♥

    ResponderExcluir
  3. OMG!!!!! estou amando a fic ♥♥♥
    é perfeita *-* esse capítulo então,sem comentários
    posta mais e logo,kisses

    ResponderExcluir
  4. Vanessa já se atirando ao Zac haha!
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderExcluir